Esboço pregação – Neemias 2.17,18

Neemias 2.17-18

O contexto:

“A reconstrução de Jerusalém como cidade de Deus foi precedida de cuidadoso planejamento. 2.11-20

A reconstrução de Jerusalém como cidade de Deus foi precedida por uma avaliação do trabalho a ser feito. 2.11-16

A reconstrução de Jerusalém como cidade de Deus foi precedida pela motivação dos futuros trabalhadores. 2.17,18

A reconstrução de Jerusalém como cidade de Deus foi precedida pela exclusão daqueles não identificados com o propósito de Deus. 2.19,20” (esboço do prof. Carlos Osvaldo Pinto)

Introdução:

Planos e sonhos não se compartilham levianamente. Não se precipitar em ações e conversas sem conhecer os detalhes; – 2.11-16

Neemias é um homem de fé. Desde que soube da situação de Jerusalém colocou em oração (cap. 1). Em oração planejou a reconstrução dos muros e da cidade. A visão e a fé devem andar juntas. A visão surge das necessidades, da calamidade. A fé alimenta o sonho, pois, na maioria das vezes, a realidade transmita pavor.

Fé e oração; Oração e ação. A oração limpa a visão, aquieta o coração e ativa a fé.

Ele andou 3 noites (12,13,15). Pensou, avaliou e estudo a realidade da muralha, dos materiais, do povo. Queria antever as perguntas e elaborar respostas aos questionamentos que surgiriam quando comunicasse seu plano.

A reconstrução de Jerusalém como cidade de Deus foi precedida pela motivação dos futuros trabalhadores. 2.17,18

A visão alimenta-se da fé. O impossível ao homem é substituído pelo poder de Deus. A fé não é sinônimo de desordem. Tampouco, um planejamento cuidadoso não elimina a fé.

Neemias não se impõe por ter alvos e planos. A fé de Neemias o fez entender que a obra era de Deus e ele, um instrumento. Não impõe seus alvos e planos e, sim, leva-os para que os demais os assumam.

O líder primeiro sonha o plano e depois acha aqueles que o ajudaram a implantar o plano. O povo acha primeiro o líder e depois abraça o sonho.

Como comunicou seu plano? Suas palavras foram terapêuticas.

1º – Tratamento de valores emocionais – Olhem a situação em que estamos. Mexer com o brio, com a mente. Precisavam de um banho de água fria para despertar da paralisia que a calamidade produziu neles.

2º – Tratamento de valores éticos – Patriotismo e dignidade. ‘Nós’. Venham e vamos reconstruir. Deixar de ser opróbrio.

3º – Tratamento de valores espirituais – ‘A boa mão de Deus…’ A fé do povo estava apática. O relato do poder, da Graça de Deus reacende a fé apagada. O desafio era muito grande. Neemias faz com que o povo mude seu pensamento, anime-se, e confie em Deus.

4º Tratamento de valores essências – Motivação. O que até aquele momento era um argumento de ‘é impossível’! ‘Não vai dar certo’! Surge, agora como entusiasmo e fortalece os laços de relacionamentos entre os moradores que se tornam em construtores.

Aplicação:

O que precisamos visualizar, como Igreja e crentes, de algum projeto?

Quais detalhes de algum projeto ou trabalho devemos perceber, visualizar e implementar pela fé e não apenas ficar reclamando?

Precisamos criar novas estruturas ou reconstruí-las para que valorizemos mais as pessoas e seus dons?

Sobre admin

Egon Paulitsch. Nasci em Ponta Grossa - Paraná. Formação: Bacharel em Teologia pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida - SP. Membro da Igreja Ev. dos Irmãos de Coqueiro em Ananindeua - Pará. Vanete Monteiro Paulitsch - Nasci em Belém - Pará. Formação: Magistério; auxiliar de Enfermagem e Licenciatura em Teologia com especialização em educação cristã - Seminário Bíblico Graça - Belém.
Esta entrada foi publicada em Esboço de pregações e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>