Esboço estudo – Mateus 5.5

Mateus 5.5 – “Bem-aventurado os mansos, porque herdarão a terra.”

I. O QUE JESUS PROMETEU?

A promessa da ‘herdar a terra’ deve ser interpretada à luz do reino de Deus. Então, sua promessa não envolve os dias atuais e, sim, o dia da eternidade futura. Neste dia os mansos, por causa da salvação herdarão a terra.

II. O QUE SIGNIFICA MANSIDÃO?

1 –  Conceito básico: gentil, humilde, atencioso, cortês.

2 – Conceito amplo: A observação de Martin Lloyd-Jones – ‘a mansidão denota uma atitude humilde e gentil para com os outros, determinada por uma estimativa correta de si mesmo.’

A mansidão se opõe à ira desenfreada, à brutalidade, à severidade, à hipocrisia, à auto-expressão. É a demonstração de um caráter meigo diante dos insultos.

Não é uma qualidade natural no ser humano. Por ser fruto do Espírito Santo entende-se que deve ser desenvolvida e aprendida. A mansidão é a qualidade de abrir mão dos direitos pessoais.

Pode-se dizer que manso é aquele que foi ‘amansado’. A gentileza, a meiguice, a humildade são fruto do trabalho do ‘rolo compressor’ de Deus com Seus eventos na vida de seus servos-filhos. A. T. Robertson (erudito das línguas originais) disse sobre a palavra mansidão: ‘ela transmite uma perfeita combinação de equilíbrio espiritual e poder.’ O manso é aquele que o é como fruto do poder de Deus sobre sua vida. Deus o amansou, por isso não se ressente das adversidades, das injurias, aceita-as como efeito do sábio e amoroso propósito do Seu Senhor para com ele.

MANSIDÃO não significa:

- ser fraco;

- ser fleumático;

- ser pacato ou ‘banana’;

É a verdadeira visão que temos de nós mesmos que se expressa na atitude e na conduta para com os outros.

3 –  A visão correta de si mesmo. Verdades básicas.

Quem sou eu? O que significo para Deus?

Meus valores, minhas virtudes, meus talentos e dons reconheço-os e sou grato por eles, pois entendo que Deus é quem me deu cada um deles.

Minhas fraquezas, minhas limitações e áreas que estão sob transformação de Deus reconheço-as e sou grato a Deus, pois sei que Deus me cobrará só o que qualificou; também entendo que tais não habilidades não me diminui diante de ninguém. Deus me fez assim. Deus permitiu cada evento de minha história.

A visão correta de si mesmo compreende o seguinte: ‘Ame ao teu próximo como a ti mesmo’ – Lc 10.27. A frase ‘como a ti mesmo’ não é um imperativo e sim uma afirmação. Em outras palavras: ame ao próximo da mesma maneira que você se ama. Jesus fala que nós nos amamos e muito. O amor que devotamos a nós mesmos devemos, na mesma intensidade, amar os outros. Portanto, a idéia da visão de si mesmo parte desta verdade. Por isso mesmo, por causa do egoísmo (amor a si mesmo) que nutrimos leva-nos a distorções acerca de quem somos.

4 –  A mansidão e outras virtudes.

Efésios 4.2

Mansidão e a humildade – a pessoa humilde é aquela que tem um entendimento de sua pobreza espiritual. Em Lc 16.20,22, a palavra mendigo é a mesma para humilde. Assim, o humilde é quem tem uma dependência total de Deus. Não tem orgulho espiritual e nem nas demais áreas de sua vida. Sua mente e coração vivem num senso de insuficiência para com Deus.

Mansidão e longanimidade – o longânimo é aquele que tem um ânimo elástico. Não cede facilmente a pressão. Não sai do sério por qualquer coisa. Ele aprendeu a dominar a ira; a não ceder aos desejos de logo pensar o pior do outro.

Mansidão e compaixão – o misericordioso é aquele cujo coração se compadece a aflição e dor do outro. Sua mão não está pronta para atirar a pedra e sim para levantar o caído. Deseja o bem do outro e se esforça para ajudar.

Conclusão:

A pessoa mansa está disposta a submeter todos os seus bens e direitos pessoais a Deus, pois reconhece e aceita que Deus é soberano sobre tudo e todos. Não reivindica direitos para si.

  • Alegremente aceita que Deus está no controle de toda e qualquer situação. Gn 13.7-18 (Abraão dá a Ló a oportunidade de escolher o lugar para seu rebanho)
  • Reage de maneira correta – firme e gentilmente às provocações. Ne 6.1-14 (Sambalá e sua turma provocaram Neemias por meio de mensageiros e até com uma carta com falsas acusações). Em Ne 5.7 é bom princípio de como tratar a ira.
  • Não se entrega à ira, ao ódio quando seu direito foi violado. Dn 6.10-24.
  • Espera pelo melhor do outro, mesmo que tenha falhado. Entende que Deus quer: usá-lo na vida dele para moldar seu caráter; ou ele é o instrumento de Deus para trabalhar você. 2 Tm 4.11 (Marcos e Paulo)

III. A MANSIDÃO E AS ÁREAS DE RISCOS

Duas áreas inimigas da mansidão:

Ira e perdão

Mansidão e ira são excludentes. São inimigas. Exceto quando a ira é santa. A ira santa é provocada por um tratamento injusto dado por outro ou a outro. É dirigida contra o pecado. Certamente, os pecadores recebem o fogo da ira santa – palavras duras, mas não torpes, nem falsas; voz firme, mas não gritaria; olhar centrado, mas não fulminante.

É preciso saber o momento. Decidir quando falar; o que falar e como falar. Vejamos o exemplo de Cristo. Quando do processo de seu julgamento ficou quieto. Foi preso injustamente. Recebeu falsas acusações. Seus direitos foram violados. Vemos o cordeiro de Deus abrir mão de seus direitos. Na encarnação abriu mão de Sua glória; no tribunal de agir com justa e santa justiça.

Mas em Seu ministério, Jesus, várias vezes derramou Sua santa ira. Contestou acusações. Falou a verdade. Tudo sem pecar.

Ver Tg 1.19,20; Gl 5.20; Pv 15.18; 29.11

A ira é um sinal de que uma expectativa pessoal não foi alcançada ou um direito pessoal foi violado.

O Prof. Dr. Davi Smith alistou algumas situações:

  • A expectativa de poder descansar depois de um longo dia de trabalho;
  • A expectativa de poder expressar a minha opinião e ser ouvido com respeito;
  • A expectativa de escolher como usar o meu tempo de lazer;
  • A expectativa de que meu amigo manterá em segredo aquilo que lhe confidenciei;
  • A expectativa de meus filhos (ou colegas) mantenham seus quartos arrumados;
  • A expectativa de usar o banheiro sem ser importunado.

Vejamos o quadro de Ef 4.31

amargura

cólera

ira

resulta em:

gritaria

blasfêmias

malícia

A mansidão ajuda a dominar a cólera e a ira e a tratar com a amargura.

3 atitudes para que a mansidão contribua para dominar os pecados alistados acima:

Usar Ef 4.2 pra combater Ef 4.31

1ª Alimentar a mente e o coração com o melhor dos outros. Internalizar a atitude de ‘ternos afetos de misericórdia’. Esperar e crer no melhor das pessoas.

2ª Não se apressar em julgar. Dar ao outro a oportunidade de expressar seu ponto de vista. Considerar que, mesmo com perspectivas diferentes, o outro pode fazer bem; agir segundo sua ótica. Abrir mão do meu modo de fazer; do meu padrão de… arrumar; cozinhar; decorar; resolver; decidir…

3ª Entregar a Deus o direito violado. Não abrigar amargura. Não alimentar ira, vingança. Adorar com ações de graça pela oportunidade de ser trabalhado por Deus.

Mansidão e perdão:

Mansidão não é possível sem a prática do perdão. Perdoar sem a compreensão do que é um espírito manso é muito penoso.

Perdoar significa abrir mão de um direito que na realidade não é meu. A vingança pertence ao Senhor (Pv 20.22; Rm 12.19). Enquanto detivermos o direito de vingança não teremos condições de amar o inimigo como Jesus nos ordenou (Mt 5.44).

Perdoar significa abrir mão do direito de odiar a pessoa que me fez algo mau. O ódio e o ressentimento tornam a pessoa (ofendido) em escrava da outra (ofensor). A pessoa que odeio me acompanha em todos os lugares. Ela não me abandona.

Perdoar significa abrir mão do direito que tenho que o ofensor venha me pedir perdão e, até que não venha a reconhecer seu erro. O perdão é unilateral. (Lc 17.4; Ef 4.32)

Perdoar, então, é abrir mão do direito de manter sua ‘pose’, posse, posição, reputação e, humildemente pedir perdão por seu erro e/ou pecado. Na mesma situação, o manso perdoa quem lhe pede perdão.

“Dar e receber o perdão é o maior poder à nossa disposição hoje para resolver conflitos. É uma das maiores necessidades do mundo inteiro. E mostrar ao mundo inteiro o caráter de Cristo por sermos pessoas que perdoam é um dos testemunhos mais poderosos que poderíamos oferecer.” Josh McDowell

IV. MOISÉS – O EXEMPLO DE MANSIDÃO

O mundo fala de alguém manso como um fraco, retraído, sem firmeza e sem ousadia.

Deus, em Sua Palavra, contraria tal conceito.

Números 12.3 – Deus chama Moisés de ‘homem mui manso’.

Uma breve biografia de Moisés.

Ex 5.1 – Moisés não temeu dar ordens ao homem mais poderoso de sua época. O que vemos? Coragem; Convicção; Firmeza; Fidelidade.

Ex 3.11 – Quem sou eu? Falsa modéstia, dizem alguns. Outros, que era medo. Não! Ele sentiu a insuficiência para tamanha responsabilidade. Não confiava em si mesmo. Deus se alegra em quem não é altivo, orgulhoso.

Ex 32.19,20 – Uma ira santa. Não se calou diante do pecado.

Ex 4.20 – Total confiança em Deus.

Dt 1.12-17 – Não se sentiu inferiorizado em repartir funções e cargos.

Nm 14.17-19 – intercede por um povo rebelde. Um povo que rejeitava sua autoridade.

Nm 16.1-35 – Intercede por Coré e sua turma e também pela congregação. Tinham contestado sua autoridade. Ver verso 22.

O mesmo fez por Mirian.

A pessoa mansa é capaz de ver o pecado e o condenar. As conseqüências da disciplina ficam com Deus.

APLICAÇÃO

  • Compreensão correta de si mesmo.
  • Acertar as contas com os outros.
  • Avalie sua postura em relação aos outros.
  • Pense de maneira boa, gentil, amável a respeito do outro.
  • A pessoa mansa está pronta a aprender.

Sobre admin

Egon Paulitsch. Nasci em Ponta Grossa - Paraná. Formação: Bacharel em Teologia pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida - SP. Membro da Igreja Ev. dos Irmãos de Coqueiro em Ananindeua - Pará. Vanete Monteiro Paulitsch - Nasci em Belém - Pará. Formação: Magistério; auxiliar de Enfermagem e Licenciatura em Teologia com especialização em educação cristã - Seminário Bíblico Graça - Belém.
Esta entrada foi publicada em Estudos Bíblicos e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>